Competição — construa plataformas, não apenas produtos - Fargotech

DOMÍNIOS DA TRANSFORMAÇÃO DIGITAL: Competição — construa plataformas, não apenas produtos.

Como abordado no nosso artigo “OS CINCO DOMÍNIOS DA TRANSFORMAÇÃO DIGITAL”, a COMPETIÇÃO é o segundo grande domínio da TD. Hoje, vamos detalhar esse domínio e como ele pode auxiliar na evolução do seu negócio. Acompanhe!

Provavelmente, você conhece ou já ouviu falar do Airbnb, não é mesmo? Pois é, o Airbnb é um bom exemplo de empresa que foi criada a partir de uma plataforma, onde boa parte do sucesso decorre da maneira como promove a confiança entre as duas partes: hóspedes e proprietários. 

É uma plataforma que possui centenas de funcionários, está presente em mais de 190 países, oferece hospedagem a milhares de viajantes e não tem um único imóvel para alugar. Como isto é possível?

Em 2007, Brian Chesky e Joe Gebbia enfrentavam dificuldades para pagar o aluguel do apartamento onde moravam em São Francisco. Quando souberam que os hotéis da cidade estavam lotados por causa de um evento de Design, tiveram a ideia de alugar parte do apartamento onde moravam durante o período do evento: criaram um site, encontraram três hóspedes e cada um pagou US$80,00 por pernoite. E assim nasceu o Airbnb! Inacreditável, né?

Repensando a competição

Os negócios de plataforma são parte de uma transformação ampla do domínio em questão — a Competição — e dos relacionamentos entre empresas. 

No passado, a competição ocorria entre negócios rivais semelhantes e em setores de atividade com fronteiras estáveis. Os negócios criavam valor dentro das próprias organizações e em parceria com fornecedores e canais de vendas. 

Na era digital, as fronteiras entre os setores estão ficando cada vez mais nebulosas, assim como a distinção entre parceiros e concorrentes. Hoje, todos os relacionamentos entre empresas são uma mistura de competição e cooperação em constante mutação.

A revolução digital está redefinindo, de várias maneiras, a concorrência e os relacionamentos entre as empresas. Está turbinando o crescimento de negócios de plataforma, como o Airbnb. 

A competição, agora, está ocorrendo menos dentro de setores e entre empresas semelhantes, que buscam substituir-se umas às outras. Em vez disso, ela está  perpassando setores e envolvendo parceiros que confiam uns nos outros para alcançar o sucesso. 

Finalmente, a tecnologia digital está aumentando a importância da “coopetição”, em que as empresas que competem diretamente em algumas arenas também atuam como parceiros em outras.

O que é o modelo de negócios de plataforma?

Nada é mais impreciso do que o uso atual da palavra plataforma, cujos significados  mais genéricos são: 

  • substantivo feminino. Terraço, eirado. Obra de terra, concreto, metal ou madeira sobre a qual assenta a artilharia. Estrado na parte posterior ou anterior de alguns vagões. Grande estrado fixo que há nas estações das estradas de ferro para facilitar o embarque ou desembarque dos passageiros.
  • superfície plana e horizontal, mais alta que a área circundante.

Mas, na área de TI, a palavra Plataforma tem um significado bem diferente. Basicamente, em tecnologia, Plataforma pode ser qualquer software básico sobre o qual desenvolvem-se programas ou sistemas. 

Na área de Marketing, pode referir-se a qualquer marca ou linha de produto que seja usada para lançar outros produtos. Enquanto nos setores de Mídias, pode significar canal de distribuição. 

Contudo, a descrição mais exata que encontrei e que reflete o contexto em questão é: 

Plataforma é um negócio que cria valor, facilitando interações diretas de dois ou mais tipos diferentes de clientes. 

A partir desta definição, três pontos merecem destaque: 

  1. Tipos diferentes de clientes: para ser uma Plataforma, o modelo de negócios deve servir a dois ou mais lados (ou tipos) distintos de clientes — desenvolvedores e consumidores de software, comerciantes e titulares de cartões e bancos, etc.
  1. Interações diretas: as Plataformas devem capacitar esses dois ou mais lados a interagir diretamente, isto é, com certo grau de independência. 
  1. Facilitação: mesmo que não sejam ditadas pelo negócio de plataforma, as interações devem ocorrer através dele e serem facilitadas por ele. 

Este tipo de negócio não é uma novidade e podemos listar quatro tipos de plataformas: 

Tipos de plataformasExemplos negócios tradicionaisExemplos digitais
MarketplacesCorretores de imóveis, Shopping Centers.Marketplaces de produtos (eBay, Americanas.com)
Sistemas de transaçãoCartões de crédito, cartões de débito.Sistema de pagamento digital (Paypal), moedas digitais (Bitcoin)
Mídia sustentada por anúnciosJornais, TVs, Rádios.Sites com anúncios, Redes sociais com anúncios
Padrões de hardware / softwareCombustíveis (Etanol vs. diesel)Consoles de videogames (Xbox, Playstation), Sistemas operacionais (iOS, Android)

Benefícios competitivos das plataformas

Três das cinco empresas mais valiosas do mundo — Apple, Google e Microsoft — construíram seus negócios sob a forma de modelos de negócios de plataforma. 

O segredo do sucesso dessas empresas (e de muitas outras) é que as plataformas oferecem vários benefícios poderosos para as organizações capazes de explorá-las com eficácia. Entre eles destacamos:

  1. Poucos ativos
  2. Escalabilidade rápida
  3. O vencedor leva tudo
  4. Eficiência econômica

Vamos explorar um pouco sobre cada um destes benefícios abaixo, acompanhe.

Poucos ativos

Uber, a maior empresa de táxis do mundo, não tem veículos; o Facebook, a mídia mais popular do mundo, não cria conteúdo; o Alibaba, o varejista mais valioso do planeta, não tem estoque e o Airbnb, o maior fornecedor de acomodações do mercado, não tem imóveis. Percebemos que algo interessante está acontecendo, não é? 

Como as plataformas transferem para os clientes o trabalho de criar grande parte de seu valor, elas tendem a ter poucos ativos. Tanto o capital quanto os custos operacionais são baixos em negócios como o Airbnb. 

Essas empresas também tendem a ter poucos empregados para a receita que geram, pois, os clientes efetuam parte do trabalho que seria atribuição dos empregados, em negócios com integração vertical. 

Em consequência, os negócios de plataforma podem gerar margens operacionais extremamente elevadas (análise em percentuais). 

Escalabilidade rápida

Os negócios de plataforma podem crescer com extrema rapidez. Os custos operacionais baixos e a arquitetura de Computação na Nuvem expansível turbinam esse crescimento. 

Podemos confirmar isso analisando o gráfico de linha do crescimento de usuários do Airbnb, que parece um bastão de hóquei, com as listagens disparando 3.000% em três anos. 

A capacidade das plataformas de aumentar a receita, com crescimento relativamente lento do número de empregados, é, provavelmente, outro fator positivo. O Airbnb alcançou US$4 bilhões em reservas com apenas 600 empregados. 

O vencedor leva tudo

Depois que uma plataforma se estabelece em sua categoria, é muito difícil lançar um desafiante direto com serviços semelhantes — resultado do poder dos efeitos de rede. 

Os clientes preferem registrar-se em uma plataforma já de ampla aceitação e com muitos outros usuários. Seria muito difícil para um concorrente direto alcançar o Facebook em redes sociais ou o Google em buscas. Lançar um novo cartão de crédito para afrontar o Visa, Mastercard ou o American Express também seria bem difícil, concorda? 

Eficiência Econômica

Um dos benefícios mais impressionantes dos modelos de negócios de plataforma é que eles possibilitam o uso eficiente de bolsões dispersos de valor econômico (trabalho, ativo, competências, conhecimento) que, do contrário, não poderiam ser usados com eficiência. 

O resultado é uma profusão de plataformas que reúnem vários atores solitários e os empodera para contribuir economicamente. Um ator individual jamais teria meios para encontrar o projeto, a necessidade ou o cliente certo para as suas ofertas.  Além disso, conduzir essa busca sozinho é caro e gasta-se muito tempo. 

Porém, as plataformas, ao reduzirem os custos de transação e ao construírem uma comunidade de parceiros, podem liberar vastos mananciais de capacidade econômica inexplorada. 

Para operar com sucesso na era digital, as empresas precisam desenvolver uma compreensão dinâmica de como competir e cooperar. 

Em vez da visão simplista de inimigos viscerais e parceiros fraternais, as empresas devem encarar todos os relacionamentos “entre organizações” como uma combinação matizada e mutante de competição e colaboração. 

Elas precisam entender o valor da cooperação com rivais diretos, a ameaça de concorrentes assimétricos em nada semelhantes, a importância da influência nos relacionamentos com negócios parceiros e o poder de modelos de negócios de plataformas digitais para reunir diferentes partes e impulsionar nova criação de valor. 

Como você pensa as oportunidades do modelo de negócios baseado em plataformas no seu setor? Essa é uma reflexão interessante para ser abordada com as equipes estratégicas. 

Quer receber mais conteúdos ricos como esse sobre Transformação Digital? Assine nossa newsletter e receba em primeira mão nossos artigos no seu e-mail. Até breve!

Comments are closed.