Blockchain e as principais áreas de aplicação — Fargotech

Blockchain e as principais áreas de aplicação

Em meu último artigo publicado, fiz um questionamento: estamos prontos para um novo tipo de dinheiro completamente digital? A repercussão foi tão positiva que decidi aprofundar um pouco na plataforma que proporciona a troca de moedas digitais com segurança e rapidez: blockchain.

Blockchain (também chamado de “protocolo de confiança”) é uma tecnologia de registro distribuído que tem como objetivo descentralizar os registros como medida de segurança. São bases de registro e dados distribuídos e compartilhados que têm a função de criar um índice global para todas as transações que ocorreram em um determinado mercado. 

Funciona como um livro-razão, só que de forma pública, compartilhada e universal, que cria consenso e confiança direta entre as duas partes, sem a necessidade de um intermediário. 

Como o surgimento do Blockchain está intimamente ligado à criação do Bitcoin como uma alternativa ao dinheiro tradicional, farei um breve resumo da evolução do dinheiro ao longo da história. 

A evolução do dinheiro

Simplificando muito, pode-se afirmar que a história do dinheiro começou com a troca de gado, sementes e legumes. 

Esse sistema logo mostrou a insatisfação das necessidades imediatas, já que não existia disponibilidade de alguns produtos requeridos: se alguém queria fazer alguma troca de hortaliças em um momento que não havia legumes disponíveis, o meio de pagamento se tornava inválido. Então, o dinheiro surgiu para atender a esta necessidade.

Ilhas Yap

A primeira forma de dinheiro conhecida é datada de 5000 a.C. As chamadas pedras Rai, eram algumas moedas enormes que não podiam ser movidas e eram usadas como forma de pagamento pelas tribos das ilhas.

Moeda metálica

O próximo passo na evolução do dinheiro foi a criação da moeda emitida e carimbada por uma autoridade central, que se encarregava dos metais nobres (ouro e prata). Este meio de troca era universalmente aceito. 

Em torno de 1100 a.C, a China já empregava moedas de vários formatos até que adotou a forma circular conservada até hoje. 

Moedas eram utilizadas no Império Romano por volta do século IV a.C. De fato, a palavra moeda tem a sua origem no templo de Juno Moneta, lugar de produção de moedas de prata em Roma. 

Papel-moeda

As moedas de ouro eram facilmente associadas ao dinheiro em papel, porque eram permutáveis. Todavia, quando os bancos começaram a expedir dinheiro em papel, este vínculo se perdeu. 

O dinheiro em papel nasceu em meados de 1600, inicialmente ligados às moedas de ouro, uma vez que o provedor destas moedas podia ir ao banco e trocá-las pela quantia equivalente de ouro metálico. A relação foi se perdendo e, nos últimos 300 anos, as tentativas de volta ao padrão de ouro se tornaram escassas. 

Desmaterialização do dinheiro

Em 1800, Western Union executou uma transferência bancária, o que representou a primeira ocasião de desmaterialização do dinheiro. 

O primeiro cartão de crédito apareceu em 1946 e em 1958, foi lançada a famosa American Express, cuja popularidade cresceu enormemente durante as décadas seguintes. Hoje, é o método de pagamento mais popular. 

Com a chegada do smartphone, o plástico deu lugar ao pagamento sem fios. E a última fase (até o momento) tem sido o surgimento de uma nova geração de moedas fora do controle dos governos, como são os Bitcoins, Ether e todas as criptomoedas criadas recentemente baseadas na tecnologia Blockchain

A relação entre Bitcoin e Blockchain

Apesar dos primeiros estudos que originaram o Bitcoin ocorrerem no início da década de 1990, a definição original, que se encontra em vigor, aconteceu em 2008, por meio da publicação do artigo “Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System”, publicado por Satoshi Nakamoto (cuja real identidade permanece em aberto). Em 2009, o código foi lançado como código aberto. 

No momento que escrevo este artigo, um Bitcoin (BTC) vale R$216.709,56 e tem sua capacidade limitada em 21 milhões de unidades de BTC. Em 2013, quando a popularidade cresceu significamente, o Bitcoin valia 13 dólares, fechando em 770 dólares em 01 de janeiro de 2014. 

Um dos motivos de tanto sucesso do Bitcoin se dá pelo fato de usar a tecnologia do Blockchain, um tipo de banco de dados distribuído e transparente, onde as transações são registradas e transmitidas entre todos os participantes da rede (nós P2P) de maneira descentralizada e transparente. 

As principais áreas de atuação

Em um relatório recente divulgado pela PWC, a aplicação da tecnologia blockchain causará o impacto em até $1.76 trilhões. 

À medida que as empresas adotam blockchain para gerar mais transparência e veracidade em todo o ecossistema, elas estão aumentando a conscientização sobre a tecnologia em setores que vão desde a infraestrutura a políticas públicas. 

Listo abaixo os setores que já estão aproveitando o poder do blockchain. Em nossos próximos artigos e posts, vamos detalhar as áreas de aplicação em cada um deles. Confira!

  • Bancário
  • Contabilidade
  • Seguro
  • Fabricação automobilística, locação e venda de carros
  • Imobiliário
  • Viagens aéreas 
  • Hospitalidade
  • IoT Industrial e Impressão 3D
  • Construção, arquitetura e edificações
  • Farmácia
  • Agricultura e mineração 
  • Educação 
  • Cloud computing e armazenamento
  • Serviços públicos: votação, rastreamento de arma de fogo, identificação

Quer saber mais sobre Blockchain e suas aplicações? Acompanhe nossos artigos e fique por dentro dessa novidade que está transformando a forma como nos relacionamos com o dinheiro em nosso dia a dia. 

Comments are closed.